sexta-feira, 27 de abril de 2012

Dracula (1931)

Ok, eu admito! Tenho uma grande crush pelo mundo vampírico, não sei bem porquê mas toda a mística das criaturas sangrentas sempre me fascinou, quer dizer nem sempre. Em tempos existiu uma novela chamada Vamp que tinha por tema a vampiragem e eu morria de medo daquilo, mas depois passou-me.
Um dos meus filmes favoritos de SEMPRE é "Entrevista com o Vampiro", não sei se na altura por ser um filme de vampiros ou por conseguir reunir Brad Pitt e Tom Cruise (apesar de não estarem nas suas melhores apresentações), mas por mais filmes que veja (e que vejo mesmo muitossss) este estará sempre no meu top de favoritos





Quanto vale em asteriscos: * * * * *



E agora vai cair por terra a credibilidade deste post (como se admitir que se gosta muito de vampiros não fosse mau o suficiente), outra razão para eu gostar de filmes deste género é a sátira de Mel Brooks, "Drácula Morto e Contente", sei que me ria à fartazana a ver isto e mesmo não sendo um dos meus filmes de topo de vez em quando gosto de dar uma espreitadela e sempre que passa na T.V. obviamente tem de ser revisto. (Este filme é a sátira ao Dracula de 1931 que supostamente é o tema principal deste post).





Quanto vale em asteriscas: * * *



E agora sim a qualidade cinematográfica vai subir... Ser um filme de Francis Ford Coppola é praticamente um selo de qualidade, falo de "Drácula de Bram Stoker". A história é a mesma mas na visão de um génio! É um filme muito mais sombrio, com cenas mais chocantes e uma visão do amor muito mais catastrófica, se na versão de 1931 dão muito mais enfânse ao romance de Mina com John, na versão de Coppola, Dracula e Mina é que estão marcados para se amarem para sempre o que torna as coisas muito mais dramáticas e nesta altura os vampiros ainda não brilhavam, eram bestas feias e sedentas de sangue! Além de ser um filme de Francis Ford Coppola tem um elenco de luxo, Anthony Hopkins, Keanu Reeves, Gary Oldman, Winona Ryder, obviamente que também está no meu topo de favoritismos e bem classificado!





Quanto vale em asteriscos: * * * * *



Agora falemos do que me levou a escrever isto. Ando numa fase de ver coisas a cheirar a mofo. Porque não ver um filme com mais de 80 anos? Ver como eram as coisas no início dos inícios. Como já deu para reparar gosto de histórias de vampiros e gosto em particular da lenda de Drácula, da Transilvânia, do castelo etc etc etc. E foi muito engraçado ver a evolução/modificações que a história vai sofrendo ao longo dos tempos. Vejamos:

1931:

- Drácula pode transformar-se em morcego ou em lobo;
- O que protege o comum mortal não é o alho mas sim uma erva chamada "Wolfbane";
- Os ataques eram lentos e cheios de glamour;
- Não suporta o Sol, nem espelhos, nem crucifixos;
- Morre com a clássica estaca de madeira no coração.

Atualmente:
- Vampiro é vampiro. Lobo é lobo. Morcego é morcego. Não há cá  misturas, aliás em maior parte das histórias misturar lobos e vampiros dá asneira;
- Andar ao sol é para meninas, espelhos quantos mais melhor porque vampiro é vaidoso e crucifixos são basicamente madeira, depois consoante as histórias as fraquezas vão mudando, mas ser vampiro nas histórias hoje em dia é "fixe" e não sangrento, assustador como deveria ser.

Gostei do filme, mas a sátira de Mel Brooks arruinou um bocado a coisa, porque por mais sérias que as cenas fossem o meu cérebro processou durante muitos anos a comédia, e era só o que ele via, de qualquer maneira ainda ainda bem que evoluímos, veio o cinema a cores e tudo o resto que temos direito, mas vale a pena! 




Quanto vale em asteriscos: * * *


Gosto de pensar se se existirem vampiros eles que sejam feios, nojentos, aterradores e que não metam piada nenhuma, porque apesar de este mundo me deslumbrar não gostaria de passar a eternidade a caçar pessoas para as drenar, mas se calhar se fossem todos assim a eternidade não era um lugar mau de se viver...




"Shhhh don't tell Edward"



Beijos e Dentadinhassssss :D

Sem comentários:

Enviar um comentário